Comportamento do público sênior na internet

As populações mundial e brasileira estão envelhecendo. Segundo previsões da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 2 bilhões de pessoas terão idade superior a 60 anos até 2050. No Brasil, país com a quinta maior população idosa do mundo em 2016, a expectativa é que o número de pessoas com mais de 60 anos ultrapasse o de crianças de 0 a 14 anos de idade até 2030.

A mudança no caráter demográfico da população mundial revela um processo de decréscimo na natalidade e a aumento da longevidade. Isso impacta na estrutura produtiva e de consumo das sociedades.

Nesse novo cenário, entender como esta importante parcela da população pensa e age é fundamental. Hoje, com desenvolvimento tecnológico e ampliação do acesso à internet, seus hábitos podem ser mais facilmente identificados e sistematizados.

De acordo com dados da matéria, “É hora de aposentar seu conceito de ‘velho’: dados e insights sobre os sêniors do Brasil”, publicado no portal thinkwithgoogle, há um nítido aumento nas buscas pelo tema envelhecimento.

Segundo a publicação, as buscas online pelo tema aumentaram cerca de 60% em relação a 2015. Em 2018 houve cerca de uma busca pelo assunto a cada 2 minutos.

Estes dados corroboram outros divulgados pelo IBGE, também citados na matéria. Esses dados mostram que mostram que um quarto dos brasileiros acima dos 60 anos estão conectados à internet.

O que a população sênior mais busca na internet?

Ainda de acordo com o Google, “para cada 3 buscas relacionadas a ‘bengala para idosos’, existem 2 relacionadas a ‘celulares para idosos”. Este dado evidencia, no mínimo, o grau de interesse que a tecnologia tem despertado nesta fatia da população.

Com mais possibilidades de interconexão e uma sociedade mais aberta e permissiva em relação aos hábitos individuais, os idosos estão cada vez mais ativos e explorando novas possibilidades.

Para além das questões relacionadas à saúde, os idosos de hoje estão também preocupados com questões estéticas relacionados a moda. Eles pensam em como se manter atualizados e atuantes no mercado de trabalho e também em como ter uma vida afetiva mais plena.

Segundo dados do Google, o número de buscas relacionadas ao tema “pele madura” teve um aumento de 40% entre 2017 e 2018.

Pesquisas relacionadas aos temas “disfunção erétil”, “viagra” e “viagra genérico” tem se mostrado 5 vezes maiores do que as buscas pelos temas “diabetes” e “colesterol” somados.

Uma peculiaridade da população sênior brasileira é que ela é mais ativa quando o assunto é a busca por um parceiro. Em média, a busca por dates online é 19% maior no Brasil quando comparado a outros 9 países pesquisados.

Direitos sociais, individuais e planejamento da velhice

Outro dado importante, revelado pelos hábitos de busca online, é o aumento na procura por temas relacionados à cidadania dos idosos. Palavras como “estatuto do idoso” e “carteira do idoso” apresentaram média de crescimento anual de 15%, desde 2015, segundo dados do Google.

Além de um maior interesse pelos seus direitos e garantias, outro hábito cada vez mais identificável relaciona-se ao planejamento da velhice. Buscas relacionadas ao planejamento financeiro tiveram aumento médio de 18% desde 2015. Já pesquisas relacionadas a planos de saúde específicos para esta faixa etária apresentaram aumento de quase 30% em 2018.

Outro dado relevante é que para cada 10 buscas pela palavra ‘asilo’ em 2018 houve 9 buscas pela palavra “creche para idosos”.  Por tanto isso evidencia uma mudança na forma de se pensar o cuidado com o idoso.

Busca e participação de inserção no mercado de trabalho

Segundo dados do Google, desde de 2015 houve um aumento de mais de 30% nas buscas relacionadas ao tema emprego para idosos. Entre 2016 e 2017 quase duplicaram as buscas por trabalhos para a terceira idade. Este dado pode ser interpretado à luz da vontade de parte desta população de se manter ativa, bem como pela necessidade de complementar a renda individual ou familiar.

No entanto, a realidade do mercado de trabalho nem sempre é tão receptiva assim. Apesar de 9 entre 10 empresas no Brasil acreditarem que profissionais com mais de 50 anos demonstram mais equilíbrio emocional quando comparados aos mais jovens, apenas 11% das empresas que atuam no mercado brasileiro têm programas de contratação para estes profissionais.

Mais possibilidade para o Marketing digital

A presença de pessoas mais maduras no mundo digital já é, hoje, uma realidade. Num futuro próximo, a tendência é que essa participação cresça ainda mais, gerando novas oportunidades de negócios e a prospecção de mercados e produtos voltados especificamente para este público.

Mais do que uma mera projeção, esta é uma característica estrutural da demografia brasileira e mundial.

Portanto, estar atento aos hábitos e práticas da população idosa à luz das novas tecnologias de informação já não é apenas um diferencial, mas sim um dever de profissionais e empresas atuantes no segmento de Marketing Digital.

É imperativo, portanto, que estes profissionais busquem prestar serviços melhores, mais eficientes e direcionados para as necessidades e desejos desta importante fatia do mercado.