Consumo de vídeo pelos brasileiros

Consumo de vídeo pelos brasileiros

O consumo se vídeo pelos brasileiros vem aumentando com o ritmo da era digital. Prova disso, é a pesquisa “Video Viewers”, realizada pelo Instituto “Provokers” e a “Box 1824”, que entrevistou 3200 pessoas entre janeiro e julho de 2018, e constatou que o consumo de vídeos na Web cresceu 135% nos últimos 4 anos.

Se em 2014 os brasileiros passavam 8,1 horas semanais assistindo a vídeos na internet, em 2018 o número de horas por semana pulou para 19!

A TV ainda respira

O consumo de vídeos através da TV também cresceu. Entretanto, de forma bem menos expressiva do que o da internet. Se em 2014 os brasileiros dedicavam 21,9 horas semanais à TV, em 2018 o número de horas na frente da telinha passou para 24,8.

A web e os smartphones

Sobre o consumo de vídeos na Web, outro importante dado é sobre a ferramenta utilizada: 75% dos entrevistados responderam que usam os smartphones para assistir a vídeos online.

A pesquisa também apontou um hábito cada vez mais presente na vida dos brasileiros: o uso do celular como “segunda tela”, enquanto se assiste à TV. Segundo o levantamento, apenas 18% dos consumidores de vídeos declararam dedicar atenção exclusiva à TV. Este percentual teve queda de 25% nos últimos 3 anos.

A web e a smart TV

As Smart Tvs também ganharam destaque na pesquisa, apresentando um expressivo crescimento em comparação ao ano passado. Se em 2017 o percentual de pessoas que costumavam ver vídeos em nas TVs ligadas à internet era de 22%, em 2018 este percentual saltou para 43%.

Aumento semelhante ocorreu no quesito preferência. Uma vez que, a pesquisa apontou o aumento de 10 para 26  pessoas que assistem vídeos pela Smart TVs do que em outros aparelhos. O número de entrevistados que preferem as Tvs inteligentes às outras ferramentas também subiu de 13 para 29%.

As plataformas de vídeo

Dentre as plataformas de vídeo, o Youtube é a preferida por 44% dos brasileiros; o dobro do segundo colocado, o Netflix. O canal da internet, para os entrevistados, tem 5 vezes mais preferência do que a TV aberta. Entretanto, foi  7 vezes mais do que as redes sociais em geral.

Apesar da preferência, quando é feita uma análise individual dos “players” do mercado de vídeos, o Youtube fica no segundo lugar, ficando três pontos percentuais atrás da Rede Globo de Televisão, que ainda é o maior meio divulgador de vídeo assistido pelos brasileiros.

O que vale é o conteúdo

A pesquisa também realizou uma análise de mais de 8 mil vídeos assistidos pelos entrevistados nos dias anteriores à pesquisa. Isso ajudou a entender os hábitos de consumo.

Além disso, os pesquisadores dividiram os vídeos em quatro grandes categorias. Essas categorias estão acordo com a motivação dos entrevistados: conexão, conhecimento, entretenimento e identidade.

  • Conexão – 22,3% – é a categoria que sintetiza o desejo das pessoas em “sentir algo em conjunto” com outras pessoas;
  • Conhecimento – 29,8% – é a busca por informação;
  • Entretenimento – 38,7 % – é a busca por diversão
  • Identidade – 9,2% – “a pessoa busca se encontrar”

O YouTube e o poder da busca

O Youtube foi a primeira plataforma buscada pelas pessoas motivadas pelo conhecimento e pela identidade. Porém segunda nas categorias entretenimento e conexão.

Ainda sobre a plataforma online Youtube, de acordo com a pesquisa, ela é a mais utilizada para se ouvir música no Brasil. Ela também é utilizada por 9 entre 10 dos entrevistados para estudar.

Além do mais, 93% dos pesquisados afirmam recorrer ao Youtube para aprender a fazer pequenos reparos em casa; 87% buscam a plataforma para desenvolver habilidade pessoais e 73% para conferir dicas de esporte e fitness.

A plataforma também é apontada por 70% dos entrevistados como um espaço que reflete a diversidade e como um lugar onde todo mundo tem voz.

Apesar de já ser uma realidade, não é difícil identificar o crescimento do consumo de vídeo pela internet. Certamente continuará a crescer exponencialmente nos próximos anos.

Entender e projetar como se dará esse consumo é tarefa de casa. Deve ser feita por todos aqueles que buscam produzir ou gerenciar conteúdos e se manter preparados para os novos desafios que se projetam no horizonte.

Quer saber mais sobre marketing digital? Então acesse nosso blog

Marcos Liberato Marcos LiberatoAdministrador de empresas, formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, pós-graduado em computação gráfica pelo SENAC, amante de games, animações, tecnologia e internet. Sócio fundador e diretor de Marketing da AE Digital.
Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com as nossas Políticas de Cookies e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições Eu aceito